Qual escada é mais fácil de subir? A que tem um degrau baixinho perto do seu pé ou a que começa com um degrau acima da sua cabeca?

Parece obvio, mas não é. Tenho visto muito isso e é uma atitude que está travando muita gente. A pessoa desvaloriza os degraus mais baixos e fica tentando alcançar seus objetivos a partir de um degrau mais alto. E se frustra. E acaba não saindo do lugar. Porque demora, porque é difícil. Claro que é difícil, olha pra foto da escada que eu coloquei aqui!

Compliquei? Explico: conheço diversas pessoas que perderam empregos muito bem remunerados, e continuam desempregadas porque “não se passam” a aceitar empregos “menores”. Conheço diversas pessoas que poderiam empreender mas “não se passam” a começar do zero. Ou começam e desistem, porque “demora muito”. E conheço várias pessoas que vão fazer e acontecer “quando tiverem uma equipe maior”, “quando tiverem um consultório melhor”, “quando mudarem de bairro”, “quando… quando…”

Fora o “ai, Branding pra que agora, quando minha empresa for grande eu faço.”

O que vai ter levar para o degrau de cima é o degrau de baixo. O que vai te levar a um nível mais alto são as pequenas ações que você realiza agora. O video de dois minutos que você posta no seu canal no YouTube, que só tem 12 inscritos, que você gravou com celular. A caprichada que você dá no uniforme do seu único funcionário (ou no seu). A decoração fofa que você faz no seu micro consultório. O cartão de visitas lindo, da empresa que só tem você. O toque de criatividade na sua embalagem.

O quanto você anda se autossabotando, virando as costas para os degraus mais baixos e tentando iniciar a escalada por um degrau lá do meio? E desistindo porque não consegue? Qualquer pequena atitude conta. É meio degrau, é 1/4 de degrau… mas o que importa é que você subiu.

A primeira vez que fiz uma aula de yoga pensei, olhando para os colegas veteranos, “credo, nunca vou conseguir fazer essas coisas!!!”. Mas aí o professor falou “esforce-se a cada dia, mas sempre no seu limite, que seja um milímetro de cada vez”. Assim eu parei de olhar o topo dos outros e valorizar os meus degraus.

Não despreze seus degraus mais baixos, eles estão aí para te ajudar a subir. Cuide bem do seu Branding.